Quem manda no Brasil? O que a Veja revelou, por Victor Saavedra

 Quem manda no Brasil? O que a Veja revelou, por Victor Saavedra

Quem manda no Brasil? O que a Veja revelou, por Victor Saavedra
Fica um dúvida... se para um ministro o presidente é capitão, então quem manda nos generais estrategicamente instalados no gabinete?

 Quem manda no Brasil? O que a Veja revelou, por Victor Saavedra

A linha fina dos áudios entre o capitão da matilha e o então secretário-geral de laranjais nos dá um vislumbre do governo paralelo que se instalou no Planalto. Primeiramente pelo pronome utilizado por um Ministro de Estado ao Presidente da República: Capitão.


“Capitão (…) o senhor se lembra que, no início, eu não podia participar daquelas reuniões de quartas-feiras, porque os generais teriam restrições contra mim? Eu não entendia que restrições eram aquelas, se eles nem me conheciam. O senhor hoje pergunte para eles qual o conceito que eles têm a meu respeito (…)”

Ouça no site da Jovem Pan à partir dos 20 segundos – https://omny.fm/shows/jovem-pan-news/udio-7
Fica um dúvida… se para um ministro o presidente é capitão, então quem manda nos generais estrategicamente instalados no gabinete? A queda de Gustavo Bebianno resultou na nomeação do General da Reserva Floriano Peixoto, até então número 2 da pasta, o oitavo ministro de carreira militar a assumir um ministério.

Outro questionamento… Quem são os participantes dessas reuniões de quarta-feira com os generais? Ela está na agenda do presidente? O problema não é o presidente se reunir com quem são seus conselheiros e assessores, até mesmo quem são as pessoas de confiança do escolhido para comandar o Brasil por apenas 4 anos.

Mais uma pergunta: Quem são os que compõe essa tábula estrelada… na qual o presidente interino do partido do Presidente durante a eleição, e até segunda secretário-geral da presidência, não podia participar?

Estaremos vendo outras sessões de macumba e orgias da era Collor, ou algo mais grave? Quem sabe o anão que vive embaixo da mesa vaze essa informação para o incompetente?
No final ficam algumas certezas… elegemos um Capitão!
Publicamente ele dá ordem a generais… mas não pode escolher quem se senta nas reuniões estreladas de quarta-feira!

Defende seus filhos… e não os obriga a prestar esclarecimentos sobre assessores e verbas!
Que dure apenas quatro anos… não há outro sonho maior que esse.

 Artigo escrito por Víctor Saavedra é Jornalista Jornal GGN




 

0 comentários:

Postar um comentário