Um grito de socorro! DP e DR: o escritor britânico que sofreu da mesma síndrome




Um grito de socorro! DP e DR: o escritor britânico que sofreu da mesma síndrome. Paul David, escritor britânico que sofreu desta mesma “doença” ou sintoma e os médicos diziam a ele que era por causa da ansiedade, hoje ele dedica-se em ajudar pessoas a libertarem-se das sensações dessa maldita DP e DR, que a Medicina não dar uma resposta, e pouco imprensa interessa pelo o assunto, pois nos jornais, portais de notícias e os programas de Tvs que aborda saúde não falam desse maldito sintoma.

Paul David, que sofreu de DP e DR por muitos anos, achava que nunca mais iria voltar ao normal, a cada dia, a cada semana, a cada mês, a cada ano, ele pensava “Meu Deus até quando isso irá durar em mim” e o pior de tudo ele não encontrava resposta, um dia ele chegou à conclusão que já estava cansado de pesquisar na internet em busca de uma solução, pensando nisso ele resolveu tomar uma decisão. A decisão foi ajudar pessoas a libertarem-se das sensações dessa maldita DP e DR.

O transtorno que interrompe o sonho e projetos de muitas pessoas

Como sabemos a Despersonalização e Desrealização, é um transtorno que interrompe o sonho e projetos de muitas pessoas. Um pesadelo e ficamos sem saída, ou melhor, dizendo sem uma resposta da Medicina. Encontramos grupos no facebook, Whatsapp, internet, depoimentos que nos surpreende com tanta gente passando pelo mesmo problema.  

Paul David, quando pesquisava na internet encontrava as mesmas coisas, os mesmos assuntos, a mesma teoria onde diz que a despersonalização surge como proteção do nosso cérebro, ansiedade, estresse e pre­ocupação diária. Mas o que mais lhe deixava descrente dessa teoria era: Como nosso cérebro pode nos prejudicar? “As pessoas po­dem então sentir-se distanciadas, distantes, vazias, sem emoções, desconectas, sentindo se com sensação de tontura, sensação de estar bêbadas e alguém vem falar que é meu cérebro me protegendo”!.  Segundo ele o que estava acontecendo é que as pessoas não estavam mais achando resposta, e nesse estado de luta contra a DP e DR começava mais a se obcecar e com isso criava um novo senti­mento, ou seja, sobrepondo, somatizando uma angustia sobre outra, pensando que era algo sério e grave, ou que poderia enlouque­cer, ou que isso nunca mais iria sair do seu sistema nervoso. Em seus ensinamentos ele prega que isso traz mais sofrimento, porque surge uma nova ansiedade, por exemplo, a pessoa tem ansiedade generalizada, mas cria uma nova ansiedade sobrepondo, apenas somatizando e piorando os sintomas da DP e DR. Imagine vários pensamentos detonando nossa mente, cria-se um novo sentimento o que poderá fazer com que estes senti­mentos e sensações aumentem.

A desrealização e despersonalização cresce à medida que entramos no ciclo de preocupa­ção e medo e por isso o nosso cor­po protege-nos destes sentimentos cada vez mais, fazendo-o(a) sentir­-se mais distanciado(a) e distancia­do(a). É esta preocupação e medo sobre estas sensações e sentimen­tos que o(a) mantêm no ciclo. 

Era isso que Paul David, não concordava, assim como muitos não concorda, até mesmo Psiquiatras renomados que conhece os sintomas de DP e DR explica que “isso é coisa da nossa cabeça, e jamais nosso cérebro irá nos prejudicar” por isso, nos cursos de Psiquiatria e Psicologia a desrealização e despersonalização não são estudadas, pois nas literaturas encontramos apenas como um sintoma, ou sobreproduto de outro produto, ou seja, a DP e DR apareceram em você por causa de outro transtorno psicológico, ou psiquiátrico, e que não existem remédios especificamente para isso, o que ouvimos dos médicos é: vamos tentar matar a raiz do problema, mas que raiz? “que chato estou cansado de tomar remédio para depressão e ansiedade e pânico, Doutor, mas meu pânico passou, minha ansiedade baixou, minha depressão passou! E agora?  ora, então, como fez Paul David, para se curar?


Como fez Paul David para se curar?

Depois de anos, cansado de pesquisar, de ouvir opinião de médicos, de blá blá, que ele não tinha nada, e que era coisa da cabeça dele, e ele que criou isso para ele etc. Um dia ele tomou uma decisão, mas qual? Não se preocupar mais com isso? Ah, mas é fácil, em seus relatos no início ele dizem que não é. Quando você pensa que esqueceu, parece uma coisa enraizada na sua mente, existe sempre um incômodo, uma inquietação, um desespero de repúdio de não aceitação. Mas ele esforçou, esforçou, esforçou, um de seus principais ensinamentos é aceitar, e reprogramar sua mente, ou seja, é como se você nascesse de novo, é como se você estivesse começando uma nova vida, uma nova jornada, um novo ciclo.

 A maneira de ultrapassar a despersonalização não é preo­cupar-se ou obcecar acerca dela, mas dando-lhe espaço, dando­-lhe o espaço necessário e não se sentir “dominado(a)” ou “arreba­tado(a)” por ela”. Explica Paul David que se curou da DP e DR. 

Não é fácil nos deixar 20 anos para traz, ou 30 e recomeçar de novo, como se você tivesse um acidente físico e ficou deficiente, e daqui para frente você irá andar de muleta, assim é ver a desperso­nalização e desrealização como uma muleta, mas essa muleta é invisível está no seu cérebro, está em nosso sistema psicológico, está no nosso sistema nervoso, e que daqui para frente estará com você. Sabe aquela resposta que ouvimos de psiquiatra e psicólogo que a cura está dentro de nós mesmos! Pois então, é isso é você se aceitar como é e não ver a DP e DR como um sinal de que algo terrível irá acontecer calma já aconteceu! E daqui para frente uma boa notícia você não vai enlouquecer. Este sintoma é como qualquer outro e quanto mais se preocupa ou ob­ceca acerca dele maior o proble­ma se poderá tornar e mais tem­po poderá manter-se no ciclo, mais tempo irá o sintoma irá durar. Quando passamos a aceitar e não dar importância a pessoa pode levar uma vida normal, mas sabendo que em você existe uma muleta, e essa muleta você irá carregar, apenas o peso dessa muleta um dia irá ficar leve! É isso mesmo ela pode ficar leve, o que Paul David ressalta bastante é a pessoa aceitar o problema, e não ficar questionando se um dia irá passar ou não. Se um dia passar ótimo! Ufa! Mas enquanto persistir os sintomas se aceite. Afinal nada acontece por acaso.

Sobre Paul David: (Paul David, escritor britânico que sofreu de Despersonalização e Desrealização com transtorno de ansiedade, e hoje dedica-se em ajudar pessoas a libertarem-se das sensações, sentimentos e pensa­mentos de pânico)







 

0 comentários:

Postar um comentário