Despersonalização e Desrealização – um sintoma desconhecido pela Medicina




 Olá sou Valdivino Sousa, editor do blog Já Publiquei, hoje iniciarei a Série DP e DR com 10 (dez) matérias sobre este transtorno que interrompe o sonho e projetos de muitas pessoas, é um pesadelo e ficamos sem saída, ou melhor, dizendo sem uma resposta da Medicina. Encontramos grupos no facebook, Whatsapp, que surpreende com tanta gente passando pelo mesmo problema. O objetivo da série abordando Despersonalização e Desrealização é para esclarecer e relatar o que essas pessoas sentem na pele... E o pior os remédios que tomamos de nada adianta apenas ameniza o sofrimento. Então fica uma pergunta – Porque a Medicina não dar uma resposta, porque a imprensa não interessa pelo o assunto? Porque os programas de Tvs que aborda saúde não coloca este tema em pauta?
 

Nessa primeira matéria iniciarei falando sobre o sintoma, com o tema: Despersonalização e Desrealização – um sintoma desconhecido pela Medicina
 Um sintoma ou doença que faz a pessoa sentir como um robô ou distante da realidade que acerca, estamos falando da DP e DR a DP é a sigla da Despersonalização e DR é a Desrealização, antes de adentrar  na questão dos sintomas vamos conceituá-las as duas:

Despersonalização: de acordo com DSM-IV, a despersonalização surge como uma desordem dissociativa: As características essenciais do Transtorno de Despersonalização consistem de episódios persistentes ou recorrentes de despersonalização, caracterizados por um sentimento de distanciamento ou estranhamento de si próprio o indivíduo pode sentir-se como um autômato ou como se estivesse em um sonho ou em um filme.
 Sensações dissociativas:
-sensibilidade à luz e ao som.
- visão em túnel.
- sensação de que o corpo aumentou, sentido-o maior que o normal.
- sentir que o corpo diminuiu a proporções mínimas.
- objetos parados parecem mexer-se.
- estar a guiar no carro e aperceber-se que não se lembra de uma parte ou da totalidade da viagem.
- estar a ouvir alguém a falar e aperceber-se de que não ouviu nada ou partes do que a outra pessoa disse.
- por vezes “ficar a olhar para o espaço” e não ter a noção de que o tempo passou.
atenção: muitas destas sensações dissociativas são normais. Elas só constituem problema quando influenciam a vida da pessoa causando desconforto e/ou problemas emocionais/psicológicos.

As pessoas que sentem despersonalização/desrealização sentem-se divorciadas tanto do mundo como do seu próprio corpo. Geralmente as pessoas alegam sentir “que a vida é vivida como se tivessem num sonho”. As coisas parecem irreais, desfocadas e há quem diga que se sente separado do seu próprio corpo. Outra característica desta condição poderá incluir pensamentos “estranhos” ou uma constante preocupação das quais as pessoas acham difícil “desligar”.

O autor Paul David descreve: “É como se as pessoas por mais que tentem, sentem que não conseguem lidar bem com o mundo à sua volta”. Sentem-se distanciadas daquilo que as rodeia, sendo difícil falarem e ligarem-se a outras pessoas. Podem sentir que já não nutrem sentimentos por outras pessoas que lhes são próximas. A pessoa parece que já não se sente como normal e isso pode custar muito a quem passa por essa experiência.
Resultado de imagem para despersonalização e desrealização
 Despersonalização é a alteração da sensação a respeito, de si próprio, exemplo sentir desligado de si mesmo, sentir fora do corpo etc. 

Desrealização: é a alteração da sensação de realidade do mundo exterior sendo preservada a sensação a respeito de si mesmo. Contudo, ambas podem acontecer simultaneamente. A classificação norte-americana não distingue mais a desrealização da despersonalização, encarando-as como o mesmo problema, o que chamamos de DP e DR.

Sintomas: sensação de estar desligado do mundo como se, na verdade, estivesse sonhando. O indivíduo que experimenta a despersonalização tem a impressão de estar num mundo fictício, irreal mas a convicção da realidade não se altera. A desrealização é uma sensação e não uma alteração do pensamento como acontece nas psicoses onde o indivíduo não diferencia realidade da "fantasia". Na despersonalização o indivíduo tem preservado o senso de realidade apesar de ter uma sensação de que o que está vendo não é real. É comum a sensação de ser o observador de si próprio e até sentir o movimento de saída de dentro do próprio corpo de onde se observa a si mesmo de um lugar de fora do próprio corpo.

A ocorrência eventual das sensações de despersonalização ou desrealização é comum. Algumas estatísticas demonstram que aproximadamente 70% da população em geral já experimentou alguma vez esses sintomas, não podendo constituir um transtorno enquanto ocorrência esporádica. Porém se acontece continuamente ou com frequência proporcionando significativo sofrimento, passa a ser considerado um transtorno. A severidade pode chegar a um nível de intensidade tal que o paciente deseja morrer a continuar vivendo.

O que ouvimos é que: o diagnóstico desse transtorno dissociativo só pode ser feito se outros transtornos foram descartados como as síndromes psicóticas, estados de depressão ou ansiedade, especialmente o pânico. Nessas situações as despersonalizações e desrealizações são comuns constituindo-se num sintoma e não num transtorno à parte.
Pode haver uma sensação de ser um observador externo dos próprios processos mentais, do próprio corpo ou de partes do próprio corpo. Vários tipos de anestesia sensorial, falta de resposta afetiva e uma sensação de não ter o controle das próprias ações, incluindo a fala, frequentemente estão presentes.

Outra coisa que ouvimos é: que a despersonalização e desrealização são sintomas que podem surgir associados ao stress pós-trauma, stress agudo, pânico/ansiedade/medo e pertencem a um grupo de sensações/sentimentos conhecidos por Dissociação.

Mas todas às pessoas que passam por um Transtorno de Ansiedade, Transtorno de Pânico, ou Stress pós-traumático têm DP e DR?

A resposta é não. Segundo uma investigação a DP e DR se desencadeia quando a pessoa tem o sistema nervoso esgotado, com pelo menos dois ou mais transtornos a um grau máximo, por exemplo, a pessoa pode ter TAG – transtorno de ansiedade generalizada com SP que é a Síndrome do Pânico ambos de grau máximo, neste patamar o sistema nervoso no cérebro se não comunica corretamente, ou seja, os neurotransmissores clássicos são: acetilcolina, as catecolaminas (dopamina, adrenalina e noradrenalina) e, a artista principal, a serotonina. Os aminoácidos podem ser excitatórios, que aceleram determinadas funções do cérebro causando a DP e DR os três principais neurotransmissores, mensageiros químicos que favorecem a comunicação entre as células do Sistema Nervoso são Três e estão diretamente relacionados ao humor: que é a serotonina, a dopamina e a noradrenalina.

O desconhecimento da Medicina

Os psiquiatras não entendem ou sabem diagnosticar a DP e DR apenas encara o transtorno como um sintoma, ou seja, como um subproduto de outros transtornos mentais como: ansiedade, pânico, stress agudo, stress pós-traumático, depressão, Esquizofrenia e Transtorno Dissociativo, Transtorno de Personalidade, entre outros. Além disso, a alegação de que a perturbação não se deve aos efeitos fisiológicos diretos de uma substância ou de uma condição médica geral, e apenas os médicos no geral receita medicamentos para outros transtornos como os mencionados e não para DP e DR, por não existir um diagnóstico direto, ou um medicamento específico para o sintoma. Observe que por isso que existem pessoas com DP e DR com mais de 10 (dez) anos, e não consegue se livrar da doença.

Alguns médicos psiquiatras se arriscam a falar sobre o problema, mas o que encontramos na internet e livros é a mesma conversa, a mesma história de que o sintoma advém de ansiedade, pânico, stress agudo, stress pós-traumático, depressão, Esquizofrenia e Transtorno Dissociativo, Transtorno de Personalidade, entre outros.

Importante saber:
O que muitas pessoas não sabem é que a despersonalização pode ocorrer em pessoas sem ansiedade ou questões de pânico. Pode acontecer quando alguém perdeu uma pessoa que ama, quando se tem um acidente de aviação, ou um choque emocional de qualquer tipo recente. É um mecanismo de defesa, é como se fosse o modo que o corpo encontra para nos proteger de toda a preocupação ou mágoa que possamos estar a sentir. Isto normalmente é temporário e quando a pessoa que está em luto ultrapassa alguma da sua mágoa, a despersonalização diminui e/ou desaparece.
O problema com a ansiedade é que as pessoas que sofrem dela têm uma tendência para se preocupar e a despersonalização surge como proteção a todo este estresse e preocupação diária. As pessoas podem então sentir-se distanciadas, distantes, vazias, sem emoções. O que acontece nessa altura é que as pessoas começam a preocupar-se e a obcecar sobre este novo sentimento, pensando que é algo sério e grave, ou que poderão enlouquecer. Até poderão mesmo “esquecer” a sua ansiedade e focarem-se apenas neste novo sentimento o que poderá fazer com que estes sentimentos e sensações aumentem. A desrealização cresce à medida que entramos no ciclo de preocupação e medo e por isso o nosso corpo protege-nos destes sentimentos cada vez mais, fazendo-o(a) sentir-se mais distanciado(a) e distanciado(a). É esta preocupação e medo sobre estas sensações e sentimentos que o(a) mantêm no ciclo.
A maneira de ultrapassar a despersonalização não é preocupar-se ou obcecar acerca dela, mas dando-lhe o espaço necessário e não se sentir “dominado (a)” ou “arrebatado (a)” por ela. Ver a despersonalização como um mecanismo que o corpo encontra para nos proteger e não como um sinal de que algo terrível irá acontecer ou que poderá enlouquecer. “Este sintoma é como qualquer outro e quanto mais se preocupa ou obceca acerca dele maior o problema se poderá tornar e mais tempo poderá manter-se no ciclo.”
“É interessante reparar que, apesar dos sintomas de despersonalização e desrealização serem conhecidos como dois dos sintomas mais comuns dos ataques de pânico, a capacidade para dissociar não é mencionada na literatura relativa à perturbação de pânico. Nem é mencionado que muito pessoas dissociam primeiro e experiência um ataque de pânico como reação à dissociação.


   Grupos no Facebook:

 É proibido desistir. Respira fundo e continua
 
 Despersonalização e Desrealização DP e DR
https://www.facebook.com/groups/1103082909729496/

     Vídeos:  

Desrealização e Despersonalização vdeo número 1. O que são essas emoções.

https://www.youtube.com/watch?time_continue=156&v=x2mJio5c9FI

  Matéria 01 de 10 - Série Dp e Dr

 

 



 
'post' name='threaded_comments'/>